Diagnóstico: Desgosto Patológico

Sinto que não há esperança no futuro e que as coisas não podem melhorar. Estou farta e insatisfeita com tudo. Observam-me, julgam-me. Na minha vida nunca tive problemas em dar às pessoas aquilo que elas queriam. Mas nunca ninguém fez isso por mim. Confiei em ti, amei-te, não me dói perder-te, mas sim a merda das tuas falsidades descaradas. Já nada importa. Sou um fracasso como pessoa. Tomar comprimidos, cortar os pulsos, depois enforcar-me! Meu amor, meu amor, porque é que me abandonaste?
Sonhei que tinha ido ao médico e que ele me tinha dado oito minutos para viver!
A cabeça está doente, a válvula do coração rasgada, sinto um borbulhar no meu coração. Cada palavra tira um pedaço da minha vida. Cada palavra tira um pedaço da minha alma.
Pára de julgar as aparências! Não sabem nada. Melancólico é o grito de um coração a partir-se! Cai neve preta na minha morte e tu abraças-me.

produção_ ASTA & TeatrUBI
criação e direção_ Rui Pires
texto_ Adaptação livre de Rui Pires a partir de “4:48 PSICOSE” de Sarah Kane
desenho de luz_ João Cantador e Rui Pires
edição sonora_ Gonçalo de Morais
guarda-roupa_ TeatrUBI & ASTA
professora de voz_ Carmo Teixeira
cartaz_ Gonçalo de Morais, Marisa Inglês e Joanna Santos
grafismo_ Sérgio Novo
cocriação e interpretação_ Gonçalo de Morais, Graça Faustino, Inês Santos, Jonna Santos e Marisa Inglês